5.0

Comportamento

Conheça a TI mesmo

Conhece a ti mesmo

Desde o início dos tempos quatro questões atormentam o homem: quem sou? Onde estou? De onde vim? Para onde vou? Ouso, e sem medo de errar, acrescentar a essas mais uma que tem atormentado os homens pós modernos; afinal, o que querem as mulheres?

Centenas de livros, filmes, musicas, tratados acadêmicos e teológicos, além de milhões de teorias sexistas foram produzidas para tentar responder a essa pergunta. E assim como acontece com as quatro questões clássicas, também em relação a essa nenhuma resposta definitiva foi dada.

Minha intenção não é incentivar a velha guerra dos sexos,muito pelo contrário, mas a verdade é que, na maioria das vezes que ouvi tal pergunta, o inquiridor era um homem mais interessado na safadeza do que na analise filosófica, um sujeito que se debruçava sobre o tema  com a mesma avidez dos que se debruçam sobre o manual de um equipamento eletrônico ansioso por conhecer seu funcionamento de maneira a tirar o máximo proveito do objeto.

Ou seja o interesse masculino é um interesse egoísta, pois a busca da resposta não visa fazer a mulher feliz, mas facilitar a vida do macho, como se fosse possível enquadrar a mulher dentro de um modelo padrão. Não é. Mulheres, como todo ser humano é multifacetada. Não pode ser enquadrada dentro de um modelo único. 

O que, afinal, as mulheres querem?

Não espero que nem mesmo  a mais erudita das fêmeas consiga responder, de maneira plena, essa desafiadora pergunta. 

A incerteza em relação a existência sempre foi o inferno do ser humano. Não sabemos quem somos, onde estamos, de onde viemos e para onde vamos, como podemos saber o que queremos?

Entre os séculos 8 a.C. e 2 a. C. milhares de homens e mulheres viajavam até a cidade grega de Delfos para consultar o oráculo e ouvir das pitonisas respostas para os dilemas que atormentavam suas existências. Naquela época não havia os consultórios de terapeutas, mas é certo que a angustia existencial que movia os antigos até Delfos ainda é a mesma que arrasta os pós modernos aos divãs da moderna psicologia. Se a angustia ainda é mesma, o conselho não poderia ser outro: Ó homem (e mulher), conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo. 

Perguntar o que, afinal, as mulheres querem sem antes perguntar o que todos os seres humanos, independente de gênero, querem, é um equivoco que só faz enfatizar as diferenças (que são muitas e marcantes) e desvalorizar as semelhanças.

Me arrisco, no entanto, a afirmar que, independente do gênero, o principal desejo de todo ser  humano é alcançar a felicidade.

Não vou, por enquanto, me deter na explicitação do conceito de felicidade, mas como filósofo estou convencido que o caminho que leva até "ela" passa obrigatoriamente pelo auto-conhecimento. E é sobre isso, sobre essa jornada rumo a nós mesmo, que trataremos neste espaço.

Espero vocês, mas não pensem que será fácil, pois como bem disse Nietzsche:  Nós, homens ( e mulheres), não nos conhecemos, de nós mesmos somos desconhecidos, e não sem motivos; nunca nos procuramos, como poderia acontecer que um dia nos encontrássemos?

 

Julio Kadetti


Julio Kadetti

Filósofo

 Julio Kadetti é escritor, roteirista, filósofo graduado pela Universidade Mackenzie e Sociólogo Pós graduado pela Universidade Gama Filho.

Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.