5.0

Comportamento

Homens que odeiam mulheres

Misoginia

Existem homens que odeiam mulheres.

E não se trata de homossexuais.

O homossexual masculino é um homem que não se sente sexualmente atraído pela fêmea, mas não se sentir atraído sexualmente é bem diferente de odiar. A grande maioria dos homossexuais masculinos adoram as mulheres.

Quando falo em homem que odeia mulher estou me referindo ao misógino. Um homem cuja sexualidade não tem nada de gay. Um homem que sexualmente se sente atraído pela fêmea, mas está sempre em conflito, pois considera a mulher um ser menor, um ser abjeto que pode ser usado e abusado.

O termo misoginia tem origem em de dois vocábulos grego: miso (ódio) e gine (feminino) e significa uma aversão a tudo que se relaciona as mulheres. O misógino, geralmente, é um sujeito aparentemente “normal", mas que carrega em seu íntimo um ódio patológico ao feminino.

Não podemos confundir misoginia com machismo, pois esse se caracteriza pela crença em uma suposta inferioridade feminina, enquanto a misoginia pode ser classificada como um transtorno mental.

A maioria de nós conhece um misógino. Eles estão nas academias, nos bares, no futebol, no escritório. Homens bem vestidos, com corpos definidos, com boa formação. Sedutores que podem corporificar a figura do príncipe encantado, mas que escondem uma personalidade doentia que se divide entre a necessidade de estar com uma mulher e o ódio profundo que o feminino desperta.

Misógino é o homem que vê a mulher como inferior e a feminilidade como uma ameaça a sua “macheza”. São homens que encaram a fêmea como objeto e não entendem a relação homem/mulher, mesmo a mais íntima, como fruto do amor, mas como um jogo de dominação.

O ódio que sentem pelo feminino se expressa na maneira egoísta e rude com que se relacionam sexualmente. Na maneira desleal como boicotam a autoestima e os projetos da companheira. Na maneira violenta como conduzem até as discussões mais banais. Na facilidade com que gritam e agridem fisicamente suas companheiras.

É preciso sempre ficar atenta. Identificar o misógino não é uma tarefa fácil. A misoginia, geralmente, se oculta atrás de sorrisos sedutores e promessas de felicidade. Demora um tempo até que o distúrbio se manifeste e, quando isso acontece, a grande maioria das vitimas, mesmo sofrendo, prefere ficar calada, fingindo que nada demais está acontecendo, acreditando que o companheiro está estressado.

Assumir que o homem que você acreditou ser um príncipe encantado é um psicopata não é fácil. Se libertar, não raro, significa deixar para trás sonhos, esperança, família, conforto. O índice de violência contra mulher tem aumentado dia-a-dia.

A misoginia é, como eu já disse, um transtorno mental. Só um acompanhamento terapêutico é capaz de resolver o problema.

Julio Kadetti


Julio Kadetti

Filósofo

 Julio Kadetti é escritor, roteirista, filósofo graduado pela Universidade Mackenzie e Sociólogo Pós graduado pela Universidade Gama Filho.

Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.