5.0

Lazer

Mãe de um quarteto? Jura?

Quarteto

Uma mãe com três filhos querendo o quarto filho, não é um desejo comum hoje em dia. Me chamem de louca, mas eu queria!

O problema é que eu tinha um mioma maior que o meu próprio útero.

O que dificultou na verdade, foi que o mioma se moveu e ficou na entrada do útero, fazendo com que eu tivesse hemorragias constantes. O desconforto era horrível e para piorar eu também tinha dores.

Fizemos de tudo para salvar o útero, mas não conseguimos... três médicos diferentes, três opiniões parecidas, muitos exames, vários tratamentos e o no final, o melhor para a minha saúde era a histerectomia, ou seja, a retirada dele. O mioma estava tão grudado que a decisão assertiva era retirar os dois juntos. Então marcamos a data e isso chegou ao fim depois de três anos.

Fim deste problema e começo de outro...

A recuperação pós – operatória não foi fácil, eu precisava ficar a maior parte do tempo deitada e sem fazer nenhum esforço. Para uma pessoa independente, esperar a ajuda dos outros é um martírio. Mesmo sendo tratada por pessoas amadas.

Depois desta parte complicada, fiquei deprimida por meses, por motivos que eu nem sabia explicar direito. Mexeu muito comigo.

Pode parecer loucura, mas além de tudo, era como se tivessem tirado um pouco da minha feminilidade, sabe? Sei lá... me parecia uma mutilação em todos os sentidos.

Sei que este órgão fez um grandioso papel na minha vida, mas eu sofri muito por que percebi que eu não estava preparada pra isso. Eu queria ser mãe novamente.

Muitas pessoas diziam pra mim: "Nossa, por que você está triste? Você já tem três filhos!" Mas eu pensava: “E daí? Eu não queria tirar o meu útero! Por que tenho três filhos perco o direito de ter mais um?” Eu não conseguia enxergar este lado bom que todos me mostravam.

Outras mulheres me diziam: "Nossa, eu ia adorar não menstruar mais!" Pois é, isso é bem legal, mas eu preferia manter o meu útero e tentar mais um filho. Nada do que me diziam adiantava...

Minha família não conseguia entender como eu poderia estar triste se o que me fazia mal havia ido embora. Trabalhei essa angústia e essa tristeza me dedicando ainda mais ao meu casamento, aos meus três tesouros e ao blog. Na verdade, eles me ajudaram a me levantar a cada dia.

Não tomei remédios, não fiz terapia e não sou contra essas possibilidades, mas acreditei totalmente no apoio deles e eles felizmente não desistiram de mim! Isso nos tornou ainda mais fortes e cúmplices.

Em novembro a cirurgia completa três anos. Hoje posso dizer que estou conformada e bem resolvida com essa situação.

A superação é algo muito difícil de realizar, é preciso muita força de vontade e coragem. Algo que tem que vir de dentro de você e ser completado com o amor que você recebe a sua volta.

Hoje penso em adotar, mas ainda não é nada concreto. A galera lá de casa, novamente está ao meu lado nesta decisão.

Mas quando isso acontecer eu aviso vocês, mesmo por que, o nome do blog vai ter que mudar! Rs...

Adele Fazioli

 

Para Adele, a superação veio com o apoio da família, o vínculo mais importante que temos.
Chegar a uma solução, é encontrar o caminho da paz interior que acalma o coração.
Jacqueline Meirelles

Adele Fazioli


Adele Fazioli

Executiva de contas

Formada em Publicidade e Propaganda e Autora do blog Mãe de Três Também tem vez. Vem comigo que no caminho eu te explico!

Site: www.maedetrestambemtemvez.com.br